11. maio 2022 Blog

Mulheres no SaaS: Veronika do ScreenCloud
ScreenCloud

Veronika Cervenakova - ScreenCloud

Algumas pessoas querem um horário de trabalho flexível. Outras precisam disso. É o caso da feroz mulher que inicia nossas entrevistas com Mulheres no SaaS de 2021. Aderindo a um caminho de metas de curto prazo que deixam espaço para aproveitar oportunidades, ela agora está no comando do seu precioso tempo. E ela é a dona.

De relações internacionais na universidade a um estágio no Google, Veronika sempre deixou sua curiosidade tomar conta. Agora, ela mantém o marketing de crescimento do ScreenCloud em suas mãos e sempre garante que suas opiniões sejam ouvidas, assim como ela espera que todas as mulheres tenham confiança para fazer o mesmo.

Olá Veronika, você pode se apresentar, dizer seu cargo e a empresa em que trabalha?

Eu trabalho no ScreenCloud, uma expansão de software de sinalização digital, há mais de dois anos. Comecei como executiva de marketing de desempenho, e meu papel evoluiu para marketing de crescimento, então estou realizando muitos experimentos para obter resultados rápidos e demanda de mercado estável. Isso pode ser bastante desafiador, mas é muito gratificante quando você desvenda alguma coisa.

Meus dias nunca são iguais. Eu não apenas supervisiono todo o orçamento, estratégia e execução dos nossos canais pagos e páginas de destino PPC, como também executo experimentos de CRO, às vezes lanço recursos, certifico-me de que estamos rastreando todas as métricas importantes e garimpo dados para garantir que as decisões que tomamos são mais orientadas de acordo com os dados. Geralmente é um trabalho muito agradável, onde eu trabalho com algumas pessoas superinteligentes.

O que a inspirou ou a levou a entrar no mundo das startups de tecnologia/área SaaS?

Eu não diria que fui inspirada a ingressar no mundo SaaS ou startup inicialmente. Eu estava sempre seguindo as últimas tendências e era uma entusiasta da tecnologia, mas nunca imaginei que acabaria trabalhando na área. Na verdade, eu queria entrar na cena do assunto internacional e trabalhar para a UE ou para as Nações Unidas.

No entanto, eu estava sempre em busca de um novo desafio e experiência, mesmo durante os verões durante o tempo de folga da universidade. Depois do meu segundo ano de faculdade, consegui um estágio de marketing com Staffino através da organização LEAF – e esse foi meu primeiro encontro com o espaço da tecnologia.

O verdadeiro ponto de virada para mim foi um estágio no Google na Polônia. Isso realmente me expôs ao marketing digital, aos clientes do Google e ao impacto de anúncios pagos de bom desempenho nos negócios. Então, esse foi meu momento ‘aha’, percebendo que o marketing online no espaço da tecnologia seria um caminho muito legal.

O Google é uma organização enorme e, embora tente ter essa sensação de startup, existem certos elementos do negócio que simplesmente não podem funcionar dessa maneira. Então, por um lado, encontrei o espaço e, por outro, percebi que, se eu quiser aprender rapidamente e ter uma experiência realmente prática, preciso ser uma empresa/startup menor. Foi assim que minha carreira no mundo das startups de tecnologia SaaS nasceu.

Estagiários do Google

Você estudou tecnologia? Você acha importante ter uma formação em tecnologia para conseguir um emprego em uma startup de tecnologia?

De forma alguma! Estudei disciplinas de ciências humanas, Relações Internacionais e Linguística, então nada técnico.

Eu não acho que seja uma obrigação estudar tecnologia ou ter uma educação tecnológica em si, mas você definitivamente precisa ter um interesse genuíno e deve estar acompanhando o que está acontecendo no mundo. Outras coisas que eu acho que você pode aprender facilmente quando se junta a uma startup dessas.

Qual foi o maior desafio para você ao entrar na área de tecnologia e como conseguiu superá-lo?

Onde começar? Acabei de ser jogada na água e tive que aprender rapidamente. Acho que a melhor maneira é aprender através da execução, então você tenta fazer as coisas sozinho antes de pedir ajuda.

Eu diria que outro grande desafio foi a enorme quantidade de ferramentas de marketing diferentes e a linguagem – que levou algum tempo para eu decifrar.

Veronika - ScreenCloud

As pessoas que trabalham em startups geralmente são muito ocupadas. Como você gerencia seu equilíbrio entre vida profissional e pessoal? Você tem tempo para alguns projetos paralelos/que você seja apaixonada?

Trabalhar em uma startup às vezes pode ultrapassar completamente sua vida. Seu trabalho se torna a sua vida. Isso não é particularmente ruim se você considera seu trabalho mais como um hobby que te satisfaz. Felizmente, este é o meu caso. Por outro lado, o equilíbrio entre vida profissional e pessoal pode ficar bastante confuso.

Para mim, existem alguns aspectos importantes quando se trata de trabalhar para uma startup. A startup precisa ter total confiança em mim e, portanto, deve oferecer horários de trabalho flexíveis e a possibilidade de trabalhar remotamente de tempos em tempos.

Eu não sou apenas uma mulher no espaço de startups de tecnologia SaaS, mas também uma mulher com uma condição crônica (artrite reumatoide). Trabalhar com uma condição crônica é algo que não é muito falado, mas engloba dores às vezes ocultas ou até mesmo visíveis: fadiga crônica, cansaço, dores de cabeça e consultas médicas regulares. Os empregadores ainda não sabem como falar sobre isso com os funcionários e que tipo de apoio é essencial. Você pode ler um pouco mais sobre isso aqui.

É aí que entram os horários de trabalho flexíveis. Se eu me sentir rígida de manhã e demorar mais para começar a funcionar, ninguém vai apontar o dedo para mim. Isso não seria possível com um trabalho 9-5. Mesmo para um indivíduo saudável, você pode ser uma pessoa matinal ou da madrugada. Por que um empregador o prescreveria para trabalhar certas horas se você é mais produtivo em horários diferentes? Não importa quando você faz suas tarefas, contanto que você as faça. Isso é basicamente tudo o que importa.

A parte remota é importante quando tenho que viajar de volta à Eslováquia para realizar check-ups. É melhor trabalhar por 1-2 semanas na Eslováquia e fazer os check-ups pela manhã.

Então, para responder à sua pergunta: o equilíbrio entre vida profissional e pessoal é importante para mim no sentido de ter flexibilidade para fazer meu trabalho nos horários que eu escolher (é claro que as reuniões são uma história diferente).

E sim, sempre há tempo para projetos paralelos. Eu acho que é importante manter suas habilidades e experiência afiadas.

Grupo de pessoas

Pensando na sua jornada e em como você chegou onde está hoje, há algo que você mudaria se pudesse?

Eu acredito que tudo acontece por uma razão, então eu realmente não mudaria nada.

Eu diria que nunca tive um plano de carreira claro ou objetivo final que estava perseguindo. Sempre me dou metas de prazo relativamente curto que quero alcançar dentro de 1-2 anos e deixo espaço para oportunidades. Algumas você aceita e outras você recusa, mas cada uma lhe dá uma nova perspectiva e algo a considerar.

Então eu diria que cheguei onde estou hoje por uma mistura de visões de curto prazo para mim e oportunidades que surgiram ao longo do caminho. Eu realmente acho que você precisa ser flexível e aberto a novas situações para descobrir se você está mesmo em um caminho que você gosta.

Que conselho você daria para sua versão que acabou de começar?

Não tenha medo de falhar e faça perguntas no começo.

Ninguém nasce perfeito e ninguém espera que você saiba tudo desde o primeiro dia. Fazer perguntas é realmente percebido de forma bastante positiva à medida que você mostra curiosidade, motivação e vontade de aprender e entender as coisas rapidamente.

Em alguns casos, principalmente quando você é novato, você pode ajudar a equipe a ver as coisas do ponto de vista de alguém de fora e perceber o que é negligenciado por pessoas que já estão muito envolvidas.

Entrevista

Que tipo de impacto você sente ao trabalhar em uma indústria/ambiente dominado por homens?

Ele ensina você a ser mais feroz na hora de expressar sua opinião e propor novos projetos, ferramentas ou estratégias. Você precisa conhecer seus fatos para apoiar o que você quer e por que, e realmente apresentar o impacto que algo pode ter. Às vezes é mais difícil convencer os homens ou mudar suas perspectivas, e isso pode levar tempo. Ter resiliência e não desistir são definitivamente virtudes que você deve seguir; eles vão te ajudar a realmente alcançar o que você almeja.

Você já se deparou com algum obstáculo que decorre da desigualdade de gênero? Você foi capaz de superá-los?

Sinto que há um grande impulso em direção à igualdade de gênero na tecnologia nos dias de hoje. No entanto, eu diria que os maiores obstáculos que às vezes ainda estão presentes são, por exemplo: se um colega do sexo masculino diz algo e depois uma mulher diz a mesma coisa com palavras diferentes, quem você acha que tem mais chances de ser ouvido? Seria o colega homem. Já vi isso no passado, mas menos nos dias de hoje. A única maneira de superar isso é ser mais vocal e assertivo, certificando-se de enfatizar que essa ideia veio de você.

Outra coisa é o mansplaining. Eu diria que as mulheres às vezes ainda são percebidas como menos conhecedoras de tecnologia/negócios, o que não é mais verdade.

Apenas 3% das mulheres dizem que uma carreira em tecnologia é a sua primeira escolha. Por que você acredita que trabalhar em uma startup de tecnologia ou SaaS é uma boa carreira?

Se você é apaixonada por tecnologia, mas tem medo desse caminho por respeito a ele, então não tenha. Você será capaz de manter o ritmo e aprenderá a ser mais técnica. Não é tão complicado. 🙂

Eu gosto de tecnologia SaaS porque é muito rápido e dinâmico, muito inovador e você pode fazer parte da tecnologia ou tendências futuras. Isso é empolgante! Mas, não é para todos.

Foto

Você enxerga uma falta de presença feminina na sua startup? Se sim, como você acha que isso poderia ser mudado?

Quando entrei, havia apenas um punhado de mulheres. Desde então, o ScreenCloud cresceu significativamente (tanto em negócios quanto em pessoas) e agora temos muito mais mulheres. Se você me perguntasse algumas semanas atrás, eu diria que temos um pequeno número de mulheres em cargos de liderança. Mas as novas contratações recentes em tais cargos foram mulheres, e estou animada para ver o que essa nova onda de poder feminino tará para a empresa.

Eu tenho um querido colega na equipe de marketing que tem falado muito sobre desigualdade de gênero, preconceito de gênero, inclusão e interseccionalidade. Demorou algum tempo, mas acho que ela realmente pressionou pela igualdade de gênero e pela nova onda que está acontecendo agora.

Só para deixar claro, não acho certo contratar mulheres apenas por contratar mulheres. Deve ser sempre baseado em habilidades e experiência. Mas também acho que dar às mulheres as condições certas e motivá-las a se candidatarem é muito importante.

O que você vê como o valor agregado de ter mais colegas de equipe mulheres em uma empresa de tecnologia?

Acho que as mulheres sempre trazem uma vibe e perspectiva diferentes para a equipe. É importante diversificar. Às vezes, as mulheres podem se relacionar melhor com os clientes e ajudar a empresa, trazendo empatia à mistura. Eu diria que a inteligência emocional das mulheres é muito melhor do que a dos homens. Além disso, acho que as mulheres são jogadoras muito colaborativas e podem unir a equipe de uma maneira diferente dos homens.

Trabalhando juntos

Como os companheiros de equipe do sexo masculino podem apoiar suas colegas do sexo feminino no crescimento profissional? E você tem experiência em primeira mão com esse comportamento positivo?

Da mesma forma que apoiam colegas homens. Compartilhando suas experiências, conhecendo suas aspirações e crindo um plano de como elas podem alcançar seus objetivos profissionais. Dando-lhes responsabilidades, ajudando-as a se educar nas áreas em que estão faltando ou querem se destacar, ajudando a obter cursos cobertos pela empresa, enviando para conferências, etc.

Se observarem que uma colega do sexo feminino não possui algumas habilidades essenciais e é por isso que muitas vezes ela não é ouvida ou reconhecida, devem oferecer algum tipo de coaching ou dicas e truques sobre como melhorá-las.

Às vezes, é tão fácil quanto elogiar sua colega publicamente na frente de toda a empresa.

O que você recomendaria para as mulheres que gostariam de entrar na área de tecnologia? Algum material educacional que você também recomendaria?

Encontre pessoas na área que a inspiram e siga elas no LinkedIn. Outra ótima plataforma é o Growthmentor, onde você tem toneladas de grandes mulheres e homens em funções de marketing, negócios e empreendedorismo, todos prontos para ligar para ajudá-lo com qualquer problema. Por fim, entrei recentemente para o Lunchclub – você adiciona algumas informações sobre você, como suas preferências, e ele te combina com alguns ótimos profissionais da área que você está procurando.

Além disso, se você gosta de marketing ou growth marketing, definitivamente siga a Growth Tribe; eles têm alguns recursos, cursos e webinars incríveis.

Caso você tenha perdido, aqui está outra história

ilustração e-books

Iniciativa mulheres no SaaS

Você sabia que apenas 3% das mulheres dizem que uma carreira em tecnologia é a sua primeira escolha e apenas 5% dos cargos de liderança em tecnologia são ocupados por uma mulher? Com a nossa nova iniciativa – Entrevistas com Mulheres no SaaS, queremos inspirar mais mulheres a ingressar no campo e tecnologia do SaaS e combater preconceitos relacionados à tecnologia.

A cada duas semanas, você pode esperar entrevistas com mulheres inspiradoras que decidiram seguir uma carreira no SaaS. No nosso próximo artigo, falaremos com a Patricia da Exponea.

CloudTalk