Mulheres no SaaS: Zuzana da Minit
By Natália Mrázová
| 18. maio 2022 |
Mulher no Saas - Outro
By N. Mrázová Natália Mrázová
| 18 maio 2022 |

    Mulheres no SaaS: Zuzana da Minit

    Mulheres no SaaS: Zuzana da Minit

    Como parte de nossas entrevistas quinzenais de Mulheres no SaaS, temos o prazer de apresentar a você mais uma líder inspiradora no setor de tecnologia. Sua história é de aproveitar oportunidades inesperadas, mas merecidas – e apesar de uma biografia já convincente, é apenas o começo.

    Conheça a Zuzana da Minit, uma empresa de mineração de processos que ajuda as empresas a otimizar suas operações. Inicialmente gravitando em direção aos estudos de doutorado, o caminho de Zuzana nem sempre apontava claramente para o campo de SaaS. Foi sua admiração pelo impacto do mundo da tecnologia que a levou a dar o salto… e ela tem ajudado as empresas a crescer desde então.

    Oi Zuzana, você pode se apresentar, sua função e a empresa em que trabalha?

    Olá! Meu nome é Zuzana Vancova e eu gerencio uma forte execução de estratégia na Minit Process Mining.

    A mineração de processos está decolando na velocidade da luz. A tecnologia permite que as empresas entendam como elas realmente funcionam em termos de processos e operações, ajudando elas a impulsionar melhorias operacionais em larga escala. Graças aos nossos fortes recursos de produto, experiência de usuário engajante, flexibilidade e implantação rápida, mais e mais empresas estão se interessando pela solução da Minit. Estou com a Minit há 9 meses. Entrei na empresa depois de ter ajudado a construir e (co-)liderar operações em uma startup que escalou de 80 para 300 funcionários.

    Minha missão atual na Minit é impulsionar a escalabilidade e a execução por meio de: alinhar a equipe em torno de objetivos comuns, permitir alto desempenho e fornecer transparência em nossos resultados. Nossas Operações atualmente são compostas por Finanças, Operações e RH, então estou sempre mudando de papel. 🙂 E como parte da equipe executiva, sou responsável por acompanhar as principais métricas, supervisionar a saúde financeira do negócio e garantir que tenhamos uma equipe produtiva e capacitada.

    equipe da minit

    Você estudou tecnologia? Você acha importante ter uma formação em tecnologia para conseguir um emprego em uma startup de tecnologia?

    Eu não estudei, e se é importante, isso depende da posição. Todas as empresas, mesmo as de tecnologia, têm funções tradicionais como Vendas, Marketing, Finanças, RH ou Operações. Na maioria dos casos, você não precisa estritamente de uma educação em tecnologia para esses tipos de funções.

    Uma formação em tecnologia ou técnica é necessária para funções nos departamentos de Engenharia, Produto e Segurança e algumas funções mais técnicas em Pré-vendas, Consultoria ou Serviços. Mas mesmo isso não é uma regra. Já vi gerentes de contratação contratarem pessoas inteligentes que podem não necessariamente ter toda a competência necessária para essa função específica, mas que foram escolhidas porque demonstraram grande potencial e se encaixaram bem na cultura.

    Ter uma educação relacionada a tecnologia ajuda, mas não é importante para todas as funções.

    Qual foi o maior desafio para você ao entrar na área de tecnologia e como conseguiu superá-lo?

    A novidade geral de tudo. Como alguém contratado para a equipe de gerenciamento de uma startup de 100 pessoas – que estava fazendo onboarding de 10 a 20 novas pessoas a cada mês – eu precisava ter certeza de que estávamos controlando bem o crescimento. Ao mesmo tempo, eu estava aumentando minha compreensão do negócio e da maneira de operar no local. Parte da jornada envolveu ganhar o respeito da equipe, já que eu era relativamente jovem. Felizmente, isso foi rapidamente superado assim que a equipe viu minhas primeiras vitórias.

    equipe da minit 2

    O que me ajudou a superar o desafio foi adotar uma abordagem estruturada, utilizando a escuta ativa e seguindo até a conclusão das coisas. Também apoiei continuamente minha equipe com o máximo esforço e, quando necessário, defendi eles. Quatro meses depois, fui promovida e assumi mais algumas responsabilidades.

    Pensando na sua jornada e em como você chegou onde está hoje, há algo que você mudaria se pudesse?

    Na verdade. Cresci muito como pessoa e como líder graças às experiências específicas que tive e estou feliz por tê-las. Algumas delas foram lições de vida, algumas delas foram estímulos para realmente parar pra pensar e entender minhas próprias percepções e atitudes.

    Que tipo de impacto você sente ao trabalhar em uma indústria/ambiente dominado por homens?

    Bem, acho que nos dividir principalmente, pensar nas pessoas como “mulheres” e “homens” no trabalho, é contraproducente. A razão é simples: essa abordagem divide em vez de unir. Não incentiva nenhum dos lados a trabalhar, respeitar e acolher o outro.

    Acredito que todos temos qualidades diferentes, por isso gosto de acolher a diversidade e conhecer as pessoas como elas são, independentemente do sexo, orientação, cor da pele, preferências ou quaisquer diferenças realmente. Todos nós temos algo para agregar. É apenas uma questão de acolher as diferenças e encontrar maneiras de trabalhar juntos. Isso requer uma certa mentalidade, e é a atitude que trago para o trabalho.

    Mesmo que eu não tenha experimentado a desigualdade de gênero (ou outras desigualdades comuns que ocorrem no local de trabalho) pessoalmente, sabemos que é a realidade. Meu coração está com aqueles que lutam com essas questões diariamente. Acredito que é responsabilidade de cada um de nós trabalhar em nossos preconceitos internos.

    festa de natal da minit

    Apenas 3% das mulheres dizem que uma carreira em tecnologia é a sua primeira escolha. Por que você acredita que trabalhar em uma startup de tecnologia ou SaaS é uma boa carreira?

    Isso é interessante. Deixe-me primeiro dizer para quem eu acho que é uma boa carreira e por que é um ótimo caminho.

    Independentemente do sexo, é um bom plano de carreira para aqueles que aceitam mudanças constantes, crescimento rápido que às vezes traz uma enorme quantidade de trabalho e pressão e uma série de altos e baixos (tanto no nível da empresa quanto no nível pessoal). Então, de certa forma, se encaixa mais em certos tipos de personalidade do que em outros. (E não, isso não significa que você precisa ser extrovertido!)

    No entanto, pensar que não ter um background tecnológico é um fator decisivo é incorreto. Trabalhar em uma startup de tecnologia abre um mundo de oportunidades. Você consegue levar as coisas adiante e ver os resultados diretos do seu trabalho.

    Você testemunha um tremendo crescimento pessoal e profissional e pode crescer muito como líder. Na maioria das vezes, você terá a oportunidade de experimentar funções em diferentes departamentos; como as culturas de startups geralmente são muito abertas, entender o contexto completo de um negócio também é mais acessível.

    O ambiente é rápido, às vezes drástico, mas propício a oportunidades de crescimento e aprendizado. Você pode encontrar uma satisfação incrível – seja por realizar algo, trabalhar por uma causa comum, ter a confiança de seus colegas ou simplesmente ajudar os outros. Acredito que tudo isso é altamente acessível com uma carreira de tecnologia.

    Você vê falta de presença feminina na sua startup? Em caso positivo, como você acha que isso poderia ser mudado?

    Na verdade, não. Na Minit, temos uma proporção geral de 20% de mulheres e uma representação feminina de 33% na liderança, o que é superior aos benchmarks típicos de 20%. Também temos mulheres em funções de tecnologia; por exemplo, em Produto, duas mulheres lideram suas próprias equipes.

    O que você recomendaria para as mulheres que gostariam de entrar na área de tecnologia?

    Use sua rede. Tente ver se você tem alguma conexão no campo da tecnologia e convide essas pessoas para um café ou peça para ser apresentado. Suas histórias lhe darão um gostinho de como é realmente trabalhar em tecnologia e podem abrir as portas do campo para você.

    Você também pode recomendar algum material educacional/de leitura para mulheres que gostariam de entrar na área de tecnologia?

    De livros, eu recomendaria a leitura de Trillion Dollar Coach (um dos meus favoritos!), Blitzscaling e The Ride of a Lifetime. Podcast – Masters of Scale. Se você está considerando uma carreira financeira em SaaS, confira o blog do CFO SaaS. Você também pode pesquisar as 10-15 principais líderes femininas em tecnologia. Eu pessoalmente sigo Sheryl Sandberg e Amy Gallo.

    As pessoas que trabalham em startups geralmente são muito ocupadas. Como você gerencia seu equilíbrio entre vida profissional e pessoal? Você encontra tempo para projetos pessoais?

    Há dois lados no equilíbrio entre vida profissional e pessoal: o externo e o interno. O que aprendi nos últimos anos é que o equilíbrio entre vida profissional e pessoal começa e termina com limites pessoais. Claro, isso só é aplicável até que você tenha uma carga de trabalho que simplesmente não seja gerenciável. Se você quer ter tempo para si mesmo ou para coisas fora do trabalho, precisa se concentrar em ambos.

    equipe minit correndo

    Isso pode incluir aprender a ser mais consciente de suas necessidades e expressá-las, entender seus motivadores internos ou redefinir as prioridades quando necessário. O equilíbrio nem sempre é perfeito e às vezes é necessário dedicar mais tempo ao trabalho. Mas tudo se torna muito mais gerenciável quando você entende que nada de ruim acontecerá se você fizer menos trabalho (mas fazê-lo altamente focado). Eu recomendo ouvir mais suas necessidades.

    Pessoalmente, tenho tempo para projetos paralelos. Recentemente, me inscrevi para mentoria com Growni.sk. Meu amigo e eu em breve iniciaremos um pequeno círculo de líderes de operações, e também sou membro do círculo Lean In. Além disso, eu absolutamente amo viajar.

    Você viajou pelo Sri Lanka sozinha. Como isso impactou sua vida? Você recomendaria a experiência para outras pessoas?

    Viajar sozinha traz muita alegria e inspiração para o meu mundo. Todos os anos, faço uma pausa para viajar. Ver a beleza do mundo desperta algo maravilhoso dentro de mim.

    No ano passado, quando viajei ao pelo Sri Lanka, estava nesta viagem de trem de seis horas olhando a incrível paisagem do país do chá, e me senti como uma criança cheia de admiração. Há tantos lugares ótimos para ver e pessoas incríveis para conhecer no mundo. Você traz essas experiências para casa com você, e elas lhe dão algo para se lembrar por toda a vida.

    Viajar também permite que você se veja de outra perspectiva. Adoro me conectar com as pessoas e aprender sobre suas histórias de vida – que às vezes são muito difíceis e às vezes tão leves que fazem você rir. Você aprende que mesmo monges e monjas em mosteiros são pessoas como nós, carregando suas próprias luzes e sombras.

    Eu nunca me sinto sozinha viajando sozinha, e essa é a beleza disso. Também é uma ótima maneira de me reconectar e refletir sobre os últimos meses e voltar para casa com mais alegria e energia positiva.

    zuzana no sri lanka

    Iniciativa Mulheres no SaaS

    Você sabia que apenas 3% das mulheres dizem que uma carreira em tecnologia é a sua primeira escolha e apenas 5% dos cargos de liderança em tecnologia são ocupados por uma mulher? Com nossa nova iniciativa – Entrevistas com Mulheres no SaaS, queremos inspirar mais mulheres a ingressar no campo e tecnologia de SaaS e combater preconceitos relacionados à tecnologia.

    A cada duas semanas, você pode esperar entrevistas com mulheres inspiradoras que decidiram seguir uma carreira no SaaS. Em nosso próximo artigo, falaremos com Diana Fusekova, Demand Generation Marketing Executive da Bloomreach.

    Caso você tenha perdido, aqui está outra história

    ilustração e-books